quarta-feira, 29 de abril de 2009

Porque Stephany é demais...


Stephany é nossa Lilly Alen. Guardadas as devidas proporções claro. Em comum ambas só tem mesmo o fato de serem crias da Internet. A primeira foi revelada aos olhos do Brasil e do mundo pela Rede; a segunda saiu dos sites de vídeos para as listas de CDs mais vendidos.

Fora o abismo cultural, musical e empresarial que existe entre a “piauiense” e a inglesinha, apesar de serem pop cada qual à sua forma, por que Stephany se tornou demais mesmo? Qual a razão para tanto interesse na moça do Cross Fox? A resposta demanda várias análises.

Cantar, Stephany canta. É fato. É afinada, tem timbre e presença de palco; um bocado over, mas tem. Tanto é que despertou o interesse de Gugu Liberato. Não foi apenas o sucesso na Internet que a levou ao palco. Gente cantando em vídeos caseiros existem aos borbotões na web. A diva voltou recentemente ao Domingo Legal. Tá vendo?! Ela entende do traçado.

Mas só o talento não sustentaria a explosão da moça de Inhuma. (Ela é de lá mesmo? A origem dos astros e estrelas é tão sombria...) Vide que reality shows pipocam na televisão atrás de novos ídolos. Lembram do Rouge, Bros, Vanessa Jackson? Lembram? Não?

Fazer sucesso é fácil. O difícil é se manter no topo, continuar atraindo o interesse e o dinheiro da massa. Alguém aí acredita que a feiosa Susan Boyle – outra que virou fenômeno na Web – se tornará a próxima Charlotte Church? É clicar e acessar para crer.

Voltemos à nossa Stephany. Seu sucesso é a prova de que talento necessita de muito esforço para ser reconhecido. Ela já está na estrada da música há um bom tempo. Acredito, inclusive, que ela foi concebida para virar ídolo, seu destino de virar estrela foi traçado antes mesmo da maternidade. Sua mãe foi cantora.

Assisti à sua primeira aparição no Domingo Legal e percebi que ela se porta como um “ídolo instantâneo”, aquele que você compra pronto e acrescenta água quente e ele sai cantando, dando entrevistas e autógrafos pela casa... Stephany fala como se ainda estivesse cantando; seu discurso é montado, cheio de “é muito bom estar aqui”, “é um sonho realizado”, “amo muito todos vocês”... Seria Stephany uma daquelas crianças-prodígio americanas talhadas para virar a próxima Britney, Justin, Rihanna? Ela cheira a isso.

E a música? A versão de “One Thousand Miles” - que Vanessa Carlton jamais a ouça - é tosca e o clipe lançado na Net então nem se fala. Mais caseiro impossível, porém chamou a atenção do mundo exatamente por isso. Stephany é completamente (ou propositalmente) non sense: ela acredita de fato que é demais dirigindo seu Cross Fox pelas ruas de uma cidade mínima perdida no interior do Piauí, maquiada como uma vamp tardia e vestida com os últimos lançamentos da grife Forrozão Alguma Coisa

Confesso que a primeira vez que assisti ao DVD com extras (!) de nossa mais famosa pop star, me diverti horrores com a tosqueira. Perguntava para todo mundo se aquela moça de fato acreditava naquilo que estava fazendo. Ela acredita. Com tanta Força que chegou onde está. Stephany não faz nada diferente do que muitas outras bandas de forró fazem – grava versões questionáveis e risíveis de hits americanos.

A grande sacada de nossa estrelinha foi usar a Rede para se promover: postou seus vídeos, usou sua network para torná-los conhecidos, virou fenômeno mais pela curiosidade que pelo embevecimento dos internautas e, como Lilly Alen, saltou do virtual para o real. Já foi “sampleada” por Preta Gil (uma referência como cantora !!!) e Cláudia Leitte. Espero em Deus que ela esteja sabendo capitalizar isso senão será atropelada pela próxima grande estrela da Internet. Até o fechamento desse post, Susan Boyle estava com o reinado ameaçado por um menina de 10 anos...

18 comentários:

Nane disse...

Excelente. Te vi falando [hahaaha] ri horrores.
sim, mas a criança num é a Maisa não né?
se for, coitada da Susan bole bole kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

beijos, Eugênio!
=]

Mara Vanessa disse...

Grande Gegê! :)

Um dos pontos altos do seu texto - na minha opinião, claro - é a análise sobre 'por que a Stephany (a própria grafia do nome já pincela às primeiras respotas. rs) é demais? (...)'.

Incrível como o teatro do ridículo, a autodepreciação usada como válvula de espace e o entretenimento usado nos moldes do 'pão e circo' ainda fazem tanto efeito como manobra de massas.

- Parabéns, professor! ;)

Patrícia disse...

Bom não! Ótimooooooo!
É de textos, pessoas como vc que a Net merece!
Não essa porcalhada de pessoas toscas, fazendo coisas toscas e o que é pior atraindo a atenção de tanta gente.
Triste, muito triste sabe até que ponto o ser humano pode chegar com tamanha ridicularidade. E só de pensar que já tem criança chorando emocionada quando vê a "moça do Cross Fox" e pior ainda imitando ela...sei não!
Como vc acabou de falar...o blog fará mais sucesso que a Stephany...e que venham os acessos!
Parabéns!

Cíntia disse...

Mas me digam uma coisa...qual é a diferença entre a Stephany e a Joelma do Calypso? Ambas tem uma boa voz, uma figurino lamentável, e a música (bom, isto nem fala!). É só mais uma entre as milhares de pop stars criadas e depois esquecidas pela mídia. Alguém ainda lembra da Gysele do Big Brother?

Menina Flor disse...

Adorei o texto, mas o que fez com que eu virasse fã dela não foram os vídeos, dvd, ou o diacho da música que gruda na cabeça da gente (se lembrar um pedacinho fica com ela na cabeça o dia inteiro, eu e a Rosa somos vítima disso!!!)mas sim ela mandar um "xero no oio" pro Amado Batista quando conversou com ele por telefone no Gugu, menino... um luxo!!! kkkkkk bjos

Rosa Magalhães disse...

Segundo a moça do Cross Fox, nem foi ela quem colocou os vídeos na Net... então, quem terá sido essa criatura tããão bondosa? rsrs. Mas vamos ser justos: coragem ela tem de sobra. Talento... bom... aí é outra história! Parabéns pelo blog, Eugênio. Beijos.

Menina Flor disse...

adorei!!!!!!!!!!!!!!!

Quem sou eu? disse...

Meu primeiro impulso ao ver os vídeos da “Istéfani”, a mim enviados pela minha irmã, uma expert da porcaria ‘netídica’, foi pensar que minha mana não tem mais o que fazer da vida. Mas diante do sucesso da moça, me veio um segundo pensamento - bem “Poliana”, como de costume - ela acredita, confia, e aposta no que faz. Longe, muito longe, de simpatizar com a sua música, simpatizei com sua coragem. Alguém pode dizer que ela não a tem?

E é coragem o que a meu ver, falta para muitos “bons” músicos da nossa terra. Coragem de dar a cara pra bater, de investir, de divulgar, de pedir que divulguem...

Os clipes dela são toscos? Sim, pode ser. Mas é a praça tosca da cidade dela, as amigas toscas dela, a ponte tosca entre o estado dela e o Maranhão; e por ser ela espelho do que vive, e demonstrar isso com tanta simplicidade [vide “cuscuz com leite” anunciado em rede nacional como sua comida preferida] ela tem o meu respeito.

Nome Lindo, espero em Deus, como você, que ela saiba o que faz, e o que fará com tudo isso.
Bom demais te ler, vice?

Beijos muitos!!!!

katya disse...

Vamp tardia, e diga-se sob o sol forte de Inhuma! Adorei!!!Ela sabe dirigir. E eu? Bjos! Me liga!

dane_ly disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
dane_ly disse...

kkkkkkkk
El Gênio, adoreeei o final! só pra não dizer que gostei do texto todo, assim, logo de cara! mas concordo com o seu ponto de vista! ela canta sim! mas hoje até o talento vem sendo superado pela "curiosidade", como vc denominou... não bastava já ter sido inumeras vezes superado por Coisas como dinheiro... a curiosidade é quem diz. o bom, é que quem tem talendo fica, consegue se manter, a curiosidae passa... mas se eu e vc concordamos que ela tem talento... se ela arrumar um personal stylist... ela fica? ou pega seu banquinho e sai de mancinho? (não achei nenhuma analogia por gugu... mas gil e gugu é tudo com g... kkk)

Péricles disse...

Menino, adorei teu texto. Consegue realmente expressar o que muita gente ainda não conseguiu sobre o fenômeno 'Stefhany', que na minha opinião é uma figura simplesmente tosca, que só tem a atenção que está tendo porque, enfim, moramos num país de pessoas toscas..rs...Abração e vou passar aqui sempre!

leitor disse...

Impressionante a capacidade que algumas pessoas tem de criticar! A crítica é fundamental para que haja correção e crescimento, contudo, não parece ser esta a intenção do autor, que se limita a de forma patética, debochar da Stephany. Mais um grande intelectual que está acima de sua geração e na vanguarda da ultra-pós-modernidade !!! Será que ele verá originalidade e criatividade em alguma coisa que não saia de suas mãos piauienses? Ou em nosso solo sua genialidade é singular? Esse blog é só mais um nesse universo de críticas vazias que enchem nossa terrinha querida.

(Duvido que vai postar; mas se postar ainda irei crer que o fará só para contrariar minha descrença)
Boa sorte, gênio...

Publicista! disse...

Bom... o texto tá maara!
E eu tinha q usar um clichê televisivo pra falar dela q é a rainha do gugu. Já são duas aparições (se ñ estou enganada) e um primerio lugar num dakeles rankings sem noção q a produção do programa inventa. Foi aclamada a maior novidade da internet(ou algo parecido). Pra fazer esse burburinho todo ela deve ter algo de "especial" ou "comercial" ñ sei... Só sei q o povo adora um tipo assim como ela (vide o "leitor" indignado e fã q comentou antes de mim).Eu pessoalmente acho graça. Pode ser meio cruel mas é só o q consigo fazer diante de Stephany.
Agora do Eugênio posso dizer q é uma pessoa q aprendo a admirar a cada dia. E q ele escrevia bem eu já sabia.
Bjs

Publicista! disse...

www.eusoupublicista.blogspot.com
Apareça viu moço!

Lilli disse...

Anjo Eugênio,

O mais interessante é ver as pessoas falando mal da Sthefany e na segunda-feira chegam comentado o que a moça vestiu, falou e cantou no Gugu. Eu vi o clip na internet para formar uma opinião, achei trash. Não troco meus domingos em companhia de bons livros, filmes e músicas para acompanhar a agenda da Sthefany, mas, como diria minha mãe, cada um tem o que merece!

Airam disse...

kkkk Mais uma infeliz querendo ganhar seu dinheirinho de maneira justa. Pelo menos ela não está roubando ou se prostituindo, então vamos deixá-la de divertir um pouquinho. Os escândalos só tendem a cair no esquecimento mesmo...
Parabéns pelo blog amigo. Bjos.

vinicius disse...

A Sthefany é uma artista sim! O que ta faltando nela,são algumas aulas de português e um bnom empresário por trás.Ela canta,e não é feia.Só está sendo mal acessorada!Quem lembra do começo do fenômeno Calypso?Joelma e sua trupe também começaram assim,do nada,e hoje existe um império chamado Calypso conhecido pelo Brasil e exterior.Viva Sthefany!!! hahaha